Quem pensa que a Baixada Fluminense não tem uma rede articulada de produtores culturais pode se enganar: de Duque de Caxias a Nova Iguaçu, a união em torno do protagonismo da mulher criou uma programação diferente em março, unindo os coletivos que produzem atividades regulares pela região.

Mapa da Baixada Fluminense, por Gabriela Boechat, artista mageense.

Mapa da Baixada Fluminense, por Gabriela Boechat, artista mageense.

O grande destaque da programação é o Festival Roque Pense (de 05/3 a 8/3), considerado o maior festival de cultura antissexista do Brasil. O evento é anual, e já passou por Mesquita e Nova Iguaçu. A edição deste ano desembarcou na Praça do Pacificador em Duque de Caxias, com uma agenda recheada de ações voltadas para o empoderamento feminino, marcando o primeiro final-de-semana de março.

Na sexta-feira (6/3), aconteceu o Sarau Fulanas de Tal, na Casa de Cultura de Nova Iguaçu. A programação foi de uma performance teatral à poesia propriamente dita. Por falar em poesia, no sábado aconteceu o Sarau Poetas Compulsivas, a versão feminina do Poetas Compulsivos que acontece mensalmente no Bar da Juliana em Morro Agudo.

Programação feminista vai além do 8 de março

Apesar do Dia Internacional da Mulher acontecer no dia 8, os produtores da Baixada não deixarão o mês se resumir a eventos que protagonizam a mulher somente na primeira semana. O Cineclube Buraco do Getúlio prepara a edição “Buraco Feminista” (sábado, 14/03), que marca a estreia do coletivo na Praça dos Direitos Humanos. Este espaço público também recebe o Sarau V, cuja próxima sessão (sexta, 20/03) abordará o tema “Somos todos Moçxs. Somos todos Viadxs“.

Não é só em Nova Iguaçu que a rede de coletivos da Baixada realiza ações independentes: em São João de Meriti, o Cineclube de Guerrilha da Baixada realiza a sessão “só as braba” no dia 28 de março (sábado). O evento exibirá filmes independentes produzidos por mulheres. Em Nilópolis, o Sarau Rua acontece no dia 27 de março (sexta-feira) na Praça dos Estudantes com o tema “A RUA é delas!“.

Filme KBELA irá estrear este ano

As comemorações de março incluem o anúncio do curta produzido pela iguaçuana Yasmin Thayna, que tem o lançamento previsto ainda para este ano. O filme contou com financiamento coletivo e levantou mais de R$ 5.500,00 para sua produção. A história surgiu do conto Mc K_bela, que narra a história de uma menina negra, moradora da Baixada Fluminense, que passou por um processo de embranquecimento durante a sua vida e decidiu se libertar deixando seu cabelo natural, sem nenhum tipo de interferência química. Essa foi a maneira que achou para se sentir bonita e poder olhar para si sem qualquer estranhamento.

Acompanhe a programação completa dos eventos de março na Baixada Fluminense através do Guia da Baixada:
http://guia.sitedabaixada.com.br/