Historicamente conhecida como um espaço multicultural, berço de boa parte da história da cultura iguaçuana, a Praça do Skate já foi assunto até de documentário; anualmente recebe uma feira beneficente; foi o ponto de encontro de uma manifestação contra a homofobia e o palco de diversas batalhas de rap – e é sobre isso que se trata a nova “Batalha do Kwanza”.

Batalha do Kwanza, primeira edição.

Batalha do Kwanza, primeira edição.

Projetada originalmente para a Praça do Caonze (popular “K11”), um grupo de jovens da cidade decidiu levar a edição de estreia para a Praça do Skate. A ideia é “pensar possibilidades, imaginar ocupações em outras praças”, como explica Mateus Carvalho, que já contribui com outros coletivos da cidade como o tradicional Cineclube Buraco do Getúlio.

“Kwanza” era um termo usado em um quilombo localizado em Nova Iguaçu no período da escravidão, em referência ao maior rio de Angola. O quilombo deu origem ao bairro hoje conhecido como Caonze. “Essa história sempre me deixou muito orgulhoso”, explica Mateus.

A edição de estreia da Batalha do Kwanza tem um lineup 100% local, com pocket shows de Válvula de Skape, Drope THC e Karioka. Além das composições, o evento terá, naturalmente, batalha de MC’s com inscrições no local a partir das 15h. Para a batalha, o desafio será dobrado: somente a primeira a a última fase serão “de sangue” (quando os MC’s provocam uns aos outros com improvisos), enquanto uma das etapas será “de conhecimento” (quando devem rimar baseados num tema pré-estabelecido).

“Quando percebermos que era real a possibilidade de realizarmos a batalha, entendemos que o objetivo ia muito além de apenas juntar mc’s e rimarem, mas que podíamos ajudar a resgatar a história do nosso território e fortalecer a cena do rap na Baixada Fluminense. Seguindo o exemplo de resistência dos quilombolas, vai ser realizado a primeira Batalha do Kwanza”, conclui Mateus Carvalho.

O evento conta com apoio do Canal Plá, Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu e Site da Baixada.