Circo-Escola Benjamim de Oliveira funcionará no Parque de Eventos da cidade. Foto: Divulgação.

Circo-Escola Benjamim de Oliveira funcionará no Parque de Eventos da cidade. Foto: Divulgação.

No próximo Dia da Baixada Fluminense(30/04), a região vai ganhar um grande presente em forma de picadeiro, com uma mistura de cultura e projeto social. O Parque de Eventos do bairro Venda Velha, em São João de Meriti, será o palco do Circo-Escola Benjamim de Oliveira, lona com capacidade para 300 pessoas em arquibancadas, onde serão oferecidos cursos gratuitos nas áreas de circo, direção e produção cultural para crianças, jovens, professores da rede pública e artistas. O projeto também pretende se tornar um importante equipamento cultural para artistas da cidade e da região, sendo espaço de ensaios e espetáculos.

circo03O Circo-Escola faz parte do projeto Território de Educação para Promoção das Relações Etnico-Raciais (Tepir), da ONG Se Essa Rua Fosse Minha (SER), com patrocínio da Petrobras e apoio da Unicef e de uma organização de cooperação internacional de Viena, na Áustria. O terreno foi cedido pela Prefeitura de São João de Meriti. Além da lona cultural, o projeto firmou parceria com escolas públicas da região, onde estão sendo oferecidas aulas de técnicas de circo, teatro, dança, reforço escolar, entre outras.

“O objetivo é atuar diretamente com 300 crianças, adolescentes e jovens. O projeto já está sendo desenvolvido em duas escolas estaduais, e em breve mais três escolas municipais serão beneficiadas. Além destas aulas, os alunos estão aprendendo a desenvolver um filme sobre a história do bairro Venda Velha. O projeto também pretende formar 30 jovens mediadores de leitura para atuar nestas unidades de ensino. E não para por aí. Cerca de 200 professores receberão formação de metodologia para implementar a lei 10639/03, que muda a lei de diretrizes e bases da educação para implementação da história da África e cultura negra no currículo escolar”, explica Cesar Marques, diretor do Se Essa Rua Fosse Minha e coordenador do projeto.

O projeto tem como base o Circo-Teatro idealizado e criado por Benjamin de Oliveira, trapezista, acrobata, compositor, cantor, ator, diretor, dramaturgo e primeiro palhaço negro do Brasil. Benjamin, já alforriado, fugiu aos 12 anos com uma trupe de circo que passava por sua cidade. Além dos números de clown e acrobacia, suas múltiplas habilidades o transformaram também no primeiro artista negro do cinema brasileiro. Seu circo-teatro, introduzido no Rio de Janeiro, teve seu apogeu entre os anos de 1918 e 1938. Começou com paródias de operetas e contos de fadas teatralizados, chegando à apresentação de peças de Shakespeare e à representação de Cristo, na Semana Santa. Essa versatilidade fez com que sua obra marcasse uma revolução no circo brasileiro.