As indústrias da Baixada Fluminense apresentaram retração do nível de atividade no segundo trimestre deste ano. De acordo com a Sondagem Econômica Regional, divulgada nesta quarta-feira, dia 30, pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), o “Volume de Produção” fechou em 36,1 pontos, abaixo da média histórica (48,4).

A pesquisa da FIRJAN varia de zero a cem. Os valores abaixo de 50 pontos indicam piora ou redução; e acima de 50 representam melhora ou aumento. O indicador “Volume de Empregos” ficou em 47,9 pontos, com recuo em relação ao trimestre anterior. Mesmo com a redução do nível de atividade, houve queda do nível de “Estoques”, que terminou o trimestre abaixo do planejado.

Os indicadores financeiros na região também pioraram em relação ao trimestre anterior. Os empresários consideraram tanto a “Situação Financeira” como a “Margem de Lucro” ruins. O “Acesso ao Crédito” foi outro problema apontado pelas empresas neste segundo trimestre.

Empresas projetam redução no número de empregados

Para os próximos seis meses os empresários esperam um impulso de demanda vindo das “Exportações”, mas consideram que a “Demanda por Produtos” se manterá estável, indicando possível redução da demanda interna. Diante disso, os entrevistados projetam redução do “Número de Empregados” e das “Compras de Matéria-prima”.

Participaram da Sondagem Econômica empresas dos sete municípios atendidos pela Representação Regional FIRJAN/CIRJ em Duque de Caxias: Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Magé, Miguel Pereira, Paty do Alferes e São João de Meriti.