A rede de ensino municipal de Nova Iguaçu, inicia o ano letivo de 2016, segundo dados da Prefeitura, com uma clientela 16,06% maior que no ano anterior. O número de alunos passou de 61.285 para 71.130. Desse universo, pelo menos 5.791 crianças e adolescentes (8,14%) nunca estiveram numa sala de aula, 726 vieram de outras cidades e 1.617 (2,63%) migraram de escolas particulares para o ensino público por força da crise econômica que assola o país.

O prefeito Nelson Bornier decidiu dedicar todos os esforços de seu último ano de mandato à educação. Ele vem investindo na construção de quatro novos complexos educacionais para receber alunos da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental nos bairros de Corumbá, Parque Boa Ventura, Parque Estoril e Três Marias.

Secretária de Educação, Aparecida Marcondes, inaugura a Escola Municipal Três Marias, agora em março. Foto: Divulgação.

Secretária de Educação, Aparecida Marcondes, inaugura a Escola Municipal Três Marias, agora em março. Foto: Divulgação.

“Mesmo com as dificuldades que a Prefeitura vem enfrentando, com a redução dos repasses estaduais e federais, ninguém ficará fora da sala de aula por falta de vagas”, garante a secretária de Educação, Maria Aparecida Marcondes Rosestolato.

De acordo com a secretária, ela ainda não sabe se a rede municipal vai poder manter o ensino integral este ano, pois ainda não houve a liberação da verba do Mais Educação.

O programa sustenta a ampliação da jornada escolar, em tempo integral, nas escolas públicas, para no mínimo 7 horas diárias, por meio de atividades optativas, com acompanhamento pedagógico; educação ambiental; esporte e lazer; direitos humanos em educação; cultura e artes; cultura digital; promoção da saúde; comunicação e uso de mídias; investigação no campo das ciências da natureza e educação econômica.  

ENSINO DE QUALIDADE

Criados nos moldes de Escola Padrão, o projeto dos quatro complexos educacionais, de acordo com a Prefeitura, estabeleceu um novo conceito de ensino público, com estrutura física ampla, funcional, voltada também para a inclusão de crianças especiais. Cada unidade oferece espaços especialmente planejados para leitura, vídeo, informática, lazer e esporte, com conforto e segurança para alunos e professores.

 

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Localizada na Rua Severino Pereira Silva e com capacidade para receber até mil alunos, incluindo a Educação Infantil, a Escola Municipal Três Marias, a maior de todas, ocupa uma área de 15.212 metros quadrados.

O complexo tem 14 salas de aula, biblioteca, sala de vídeo, midiateca para material videográfico de interesse educacional, sala para crianças especiais, parquinho infantil, sala de orientação pedagógica e sala de professores.

Dispõe ainda de arquivo, almoxarifado, cozinha, refeitório, sanitários, quadra poliesportiva coberta e campo de futebol com vestiário masculino e feminino, além de áreas de lazer para a comunidade local, com quiosques e academia ao ar livre, infantil e para Terceira Idade.

 

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

“Quando assumimos o governo, em janeiro de 2013, a rede municipal de ensino estava completamente sucateada, parecia ter sofrido um verdadeiro tsunami. De uma média de 56 mil alunos, saltamos para 61 mil e agora, até 29 de janeiro, já havíamos feito mais 9.845 novas matrículas, que só se encerram dia 10 de março. Chegamos também a 136 escolas que oferecem merenda de qualidade, uniforme, kit escolar e transporte gratuito para todos os alunos. Este ano vamos chamar também mais 126 professores concursados”, contabiliza a secretária.

Na avaliação de Aparecida Marcondes, a Escola Padrão proporciona um ambiente de trabalho prazeroso, contribuindo melhor para o rendimento dos alunos e também dos professores, da mesma forma que o espaço físico é igualmente importante na organização da unidade escolar.

“A nossa meta é oferecer toda uma infraestrutura que dê dignidade e conforto aos alunos, professores e pessoal de apoio. Vamos preparar também o nosso pessoal, nossos gestores, para que saibam o que de fato significa o patrimônio público. A comunidade também precisa saber quanto custa uma escola, até porque tudo isso sai dos impostos que ela mesma paga. E esse resgate do valor do patrimônio público vai ser feito pela subsecretaria de gestão pedagógica”, anunciou Aparecida Marcondes.