Prefeito Carlos Vilela assina lei para prorrogação do concurso. Foto: Thiago Loureiro/PMQ.

Com o objetivo de recompor o quadro dos profissionais da Educação e continuar atendendo a demanda da rede municipal de ensino – que deve chegar a marca de 15 mil alunos após o encerramento das matrículas –, a Prefeitura de Queimados, através da Secretaria Municipal de Educação, prorrogou nesta sexta-feira, dia 10, o concurso público do magistério, realizado em 2012, por mais oito meses. A lei enviada pelo prefeito Carlos Vilela à Câmara Municipal foi aprovada por unanimidade pelos vereadores presentes na sessão. O prazo do concurso iria se expirar na próxima segunda-feira.

Ao todo, o concurso público previa 344 vagas para os cargos de professor I, professor II, Orientador Educacional, Orientador Pedagógico, Secretário Escolar e Supervisor Escolar. A Prefeitura já convocou 671 profissionais, quase o dobro da estimativa inicial. Destes, 107 profissionais desistiram ou se aposentaram, criando assim a necessidade de novas convocações.

Escola Municipal Leopoldo Machado. Foto: Divulgação.

A área que chamou mais profissionais foi a de professor II, voltada para o primeiro segmento do Ensino Fundamental. Das 168 vagas previstas inicialmente em 2012, a prefeitura já convocou 406 professores. A previsão é de que até o final de fevereiro, mais 81 sejam chamados.

Já a de Professor II, que inicialmente previa apenas 81 vagas, convocou 142 profissionais e a previsão é de que pelo menos mais 14 sejam chamados nos próximos dias. Também há previsão para convocação de Orientador Pedagógico (6), Orientador Educacional (1) e Secretário Escolar (6).

Unidade do bairro Santa Rosa passará a funcionar em dois turnos

De acordo com o secretário de Educação de Queimados, professor Lenine Lemos, com as novas convocações, o município chegará a marca de 1100 professores, possibilitando assim a criação de seis novas turmas na Escola Municipal Professor Waldick Cunegundes, no Bairro Santa Rosa, que passará a funcionar em dois turnos: manhã e tarde. “Serão pelo menos mais 250 alunos dentro da sala de aula. Assim, conseguiremos atender a demanda gerada pelos empreendimentos habitacionais, recém-construídos nos bairros Eldorado e Jardim da Fonte”, frisou.

O prefeito Carlos Vilela também se manifestou sobre o assunto. “O município ganhará com profissionais qualificados e o nosso objetivo é recompor o nosso quadro que ficou um pouco defasado devido a professores que desistiram da matrícula por morar longe e outros que se aposentaram”, concluiu.