O prefeito Carlos Vilela assinou nesta quinta-feira (23) um acordo de cooperação técnica com o Governo do Estado para a reativação do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM). O órgão que prestará serviços jurídicos, psicológicos, sociais e administrativos às mulheres que precisam de apoio e orientação sobre violência doméstica e serviços de acolhimento à vítima vai atender já a partir desta sexta-feira (24) na Estrada do Lazareto, no bairro São Roque.

A unidade vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h. Durante a assinatura do termo, realizada na sede da secretaria de Estado de Apoio e Proteção à Mulher e ao Idoso, no centro do Rio, o secretário Átila Nunes apresentou ao prefeito Carlos Vilela a equipe de profissionais que vão trabalhar no local, entre eles: advogada, psicóloga, assistente social, auxiliar administrativo, assistente de serviços gerais e uma coordenadora.

O CEAM de Queimados foi aberto em agosto de 2014 e teve as atividades paralisadas no fim do ano passado. O Estado era o responsável pelas despesas dos profissionais e a prefeitura cedia o imóvel. Durante esse período, mais de 2,5 mil mulheres foram atendidas no município.

De acordo com o prefeito Carlos Vilela, o CEAM visa oferecer às mulheres, principalmente as que sofrem violência doméstica ou que estão em situação vulnerável, um atendimento especializado e um acolhimento de alta qualidade. “É um espaço exclusivo para a mulher, onde ela busca empoderamento e direcionamento para seus problemas. Lá, elas recebem apoio psicológico, jurídico e social. Nosso governo é pautado em cuidar das pessoas, a reativação do CEAM é muito importante. A prefeitura dará todo apoio para o prosseguimento dos serviços”, afirmou.

Já o secretário de Estado de Apoio e Proteção à Mulher e ao Idoso, Átila Nunes, destacou a importância da parceria da prefeitura para a retomada dos serviços do CEAM. “A reativação do CEAM Queimados é fundamental para o atendimento à mulher e a parceria com a Prefeitura de Queimados foi decisiva para esta reativação. Este centro será referencia para o município, bem como para região. Precisamos combater os abusos e a violência contra a mulher”, destacou.