Agosto é considerado o mês mundial da amamentação. No município de Japeri a preocupação com a alimentação do bebê, através do leite materno, dura o ano inteiro. Mães e gestantes podem procurar, diariamente, todas as unidades de saúde da cidade para tirar dúvidas sobre a importância de amamentar seus filhos nos primeiros anos de vida.

Palestra sobre amamentação na UMEP. Foto: Custodio Martins

Palestra sobre amamentação na UMEP. Foto: Custodio Martins

Enfermeiros e agentes comunitários de saúde estão a postos para sanar todos os questionamentos, prestando esclarecimentos e dando conselhos às mamães. “Incentivadas pela indústria, muitas mulheres optam pelas papinhas compradas no mercado. Mas isso não é o correto. Passamos a elas que o leite materno deve ser o único alimento dado aos bebês nos seis primeiros meses de vida e que a amamentação deve acontecer pelo menos até que a criança complete dois anos”, explica Silvana Amaro dos Santos, psicóloga da Unidade Mista de Engenheiro Pedreira (UMEP).

Silvana conta que o leite materno possui todas as vitaminas necessárias para que a criança cresça saudável. Segundo ela, não há regra quanto à quantidade de vezes que o bebê deve mamar por dia. “É o que chamamos de ‘livre demanda’. O bebê deve se alimentar sempre que demonstrar vontade e a mãe achar que deve amamenta-lo”, ensina Silvana, que revela que não é só a criança que se beneficia com a amamentação. “Além de emagrecer, ajuda o útero a voltar ao normal e também diminui o risco de a mulher ter câncer de mama”.

O leite materno só não é aconselhado quando a mãe possui alguma doença que pode ser transmitida através da amamentação, como a AIDS, por exemplo. Neste caso, outra fonte de vitaminas deve ser procurada, sempre com acompanhamento médico.