O Aedes Aegypti é originário do Egito e vive dentro de casa – perto do ser humano. Ele tem hábitos diurnos e alimenta-se de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer.

Há relato de que um só mosquito transmitiu dengue para cinco pessoas de uma mesma família, no mesmo dia.
Fonte: Ministério da Saúde

A reprodução do mosquito acontece em água limpa e parada, a partir da postura de ovos pelas fêmeas. Os ovos são distribuídos por diversos criadouros – estratégia que garante a dispersão da espécie.

Poças d’água e até tampas de garrafas podem servir como criadouros das larvas.

Se a fêmea estiver infectada pelo vírus da dengue quando realizar a postura de ovos, há a possibilidade de as larvas já nascerem com o vírus – a chamada transmissão vertical.

Dengue

A dengue foi identificada pela primeira vez em 1986 no Brasil. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo. A infecção por dengue pode ser assintomática, leve ou causar doença grave, levando à morte. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde.

  • A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias;
  • Dor de cabeça;
  • Dores no corpo e articulações;
  • Prostração e fraqueza;
  • Dor atrás dos olhos;
  • Erupção e coceira na pele

Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Na fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, entre outros sintomas.

Campanha #ZikaZero conscientiza população para o combate ao Aedes Aegypti.

Campanha #ZikaZero conscientiza população para o combate ao Aedes Aegypti.

Febre Chikungunya

No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Chikungunya significa “aqueles que se dobram” em swahili, um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953.

  • Febre alta de início rápido
  • Dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos;
  • Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele.

De acordo com o Ministério da Saúde, não é possível ter chikungunya mais de uma vez – depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida.

Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito. O mosquito adquire o vírus CHIKV ao picar uma pessoa infectada, durante o período em que o vírus está presente no organismo infectado. Cerca de 30% dos casos não apresentam sintomas.

Zika

O Zika vírus foi identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. Ele tem esse nome por causa da floresta Zika (Uganda), onde foi identificado pela primeira vez em 1947, manifestado em macacos sentinelas para monitoramento da febre amarela. Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações clínicas.

  • Dor de cabeça
  • Febre baixa
  • Dores leves nas articulações
  • Manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos
  • Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos.

No geral, os sintomas desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês. Formas graves e atípicas são raras, mas quando ocorrem podem, excepcionalmente, evoluir para óbito, como identificado no mês de novembro de 2015, pela primeira vez na história.

Observe o aparecimento de sinais e sintomas de infecção por vírus Zika e busque um serviço de saúde para atendimento, caso necessário.