Nova Iguaçu é o primeiro município, no estado do Rio de Janeiro, a inaugurar  um ambulatório para acompanhamento de gestantes com zika vírus. A unidade que fica no prédio anexo à maternidade Mariana Bulhões, no bairro da Posse, foi inaugurada na tarde do último sábado (05/ 03). O prefeito da cidade, Nelson Bornier, o secretário Estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Júnior e o secretário municipal de Saúde Emerson Trindade participaram da inauguração, que contou ainda com a presença de vereadores, secretários municipais, lideranças comunitárias, convidados e moradores de vários bairros.

Ambulatório para gestantes com suspeita de Zika. Foto: Alziro Xavier.

Ambulatório para gestantes com suspeita de Zika. Foto: Alziro Xavier/Marcelle Abreu.

O ambulatório será referência na identificação dos casos e principalmente no acompanhamento do pré-natal das gestantes com diagnóstico positivo para o vírus.

“ Neste momento difícil, muitas vezes, a mulher não sabe o que fazer nem a quem recorrer. A família também não está preparada para dar apoio a esta mãe. Estamos entregando à população um lugar onde a gestante será acolhida com orientação, carinho e atendimento médico diferenciado”, destacou o prefeito Nelson Bornier.

“Não imaginávamos que o Zika traria um mal tão grande. Mas um mosquito não pode ser mais forte que um país. Temos que acolher as mulheres e precisamos da união de todos. Tenho certeza que Nova Iguaçu não vai medir esforços porque aqui tem um prefeito que é empreendedor”, disse o secretário Estadual de Saúde.

O secretário municipal de Saúde explicou como será o atendimento no ambulatório, que começou nesta terça-feira (08/03) e destacou algumas ações que estão sendo tomadas para evitar a proliferação do mosquito.

“Temos sido pioneiros, nossos números têm causado impacto. Em 2015 realizamos 1,5 milhão de vistorias e nos dois primeiros dois meses deste ano cerca de 270 mil imóveis foram visitados por nossos agentes. Estamos fazendo o dever de casa”.

Para o diretor geral da maternidade Mariana Bulhões, Abrahão Ricardo de Azeredo, o ambulatório é importante também para os profissionais.

“Quero agradecer por este ambulatório que está sendo inaugurado num momento tão angustiante para as gestantes, familiares e também para os profissionais da área da Saúde. Estamos trabalhando com algo novo, ainda temos muitas perguntas sem respostas”, conclui o Abrahão.

Para oficializar a abertura do ambulatório as autoridades descerram a placa de inauguração e visitaram as instalações da nova unidade. Também participaram do evento o diretor geral do Hospital Geral de Nova Iguaçu, Joé Sestello, a secretária-executiva do Consórcio Intermunicipal da Baixada Fluminense (CISBAF), Rosangela Bello e a médica Maíra Faccioli (responsável pelo ambulatório) e coordenadora da Clínica de Obstetrícia da maternidade Mariana Bulhões. Além dos vereadores Jorge de Austin,  Rael, Gerciano, Gilson Cunha, Cacau, Carlinhos Presidente, Flavinho, Renato do Mercado, Artur Legal e Marcos Rocha.

Entenda como funcionará o ambulatório

Diante da possibilidade da gestante ser portadora do zika vírus esta será encaminhada para o ambulatório. Grávidas com sintomas de zika ou que tiveram a doença durante a gravidez serão acompanhadas. Manchas vermelhas pelo corpo são suficientes para suspeita da infecção.  O ambulatório só atenderá pacientes encaminhadas pelas unidades municipais de emergência, ambulatórios ou unidade onde a gestante realiza o pré-natal.

O ambulatório contará com equipe formada por técnico de Enfermagem e Obstetra. Através do telefone 3102-4770 a paciente poderá agendar consulta no ambulatório e também tirar dúvidas sobre a doença. O atendimento acontecerá às terças, quarta e quintas-feiras, das 8h às 17h. O telefone 0800 025 79 70 também está disponível para quem quiser tirar dúvidas. Neste número o atendimento acontece todos os dias, inclusive nos finais de semana e feriados.

Na primeira consulta no ambulatório serão solicitados os exames necessários. Caso confirmado que a paciente tem zika vírus, mas o desenvolvimento da criança está normal, a gestante continuará o pré-natal na unidade de saúde perto de casa. Quando houver suspeita de que a criança possui microcefalia a gestante passará a ter atendimento diferenciado e prioridade na realização de exames. Após ser atendida e diagnosticada a paciente terá acompanhamento, com consultas em todas as especialidades médicas necessárias.

Após o nascimento da criança as gestantes, acompanhadas no ambulatório, deverão marcar consulta médica na Pediatria do Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI). Pediatra e Neurologista farão o atendimento. A confirmação de que o bebê é portador de microcefalia só acontece após o nascimento, através de exames específicos.