Através de um estudo realizado em 2013, a superintendência de Atenção Básica da secretaria  de Saúde divulgou os números da primeira pesquisa sobre violência doméstica, sexual, familiar e infantil na história da cidade, chamada Programa de Agravos e Violência. O objetivo do programa é trazer mecanismos para melhorar o atendimento a população afetada, principalmente as mulheres, e incentivar a notificação de casos omitidos pelas vítimas.

A análise foi realizada durante quatro meses de 2013, fazendo um estudo de casos registrados de violência de 2010 à 2013 formando os indicadores.

Durante os quatro anos que foram analisados, o número de casos de violência tem aumentado significativamente.

Em 2010 foram 21 casos, em 2011 a cidade chegou a 126, em 2012 tiveram 163 registros e em 2014 ficaram notificados 294 atos de violência, sendo que cerca de 88% dos casos são contra o sexo feminino. Neste período as unidades que mais registram os casos foram o PAM de Éden, Hospital da Mulher, Posto de Saúde da Vila São João e o Posto de Jardim Íris.

Através do Programa de Agravos e Violência a secretaria também busca a implantação de alguns serviços para a população Meritiense como o Instituto Médico Legal (IML), delegacia especial de atendimento à mulher, casas de reabilitação para agressor e vítima e unidades de saúde especializadas no atendimento com psiquiatria e psicologia. É importante frisar que o atendimento a uma vítima de agressão, tanto homem quanto mulher, pode ser feito em qualquer unidade de saúde do município.

As denúncias podem ser feitas através do Dique-Mulher (180) e Disque Denúncia (2253-1177).